terça-feira, 25 de maio de 2010

Eles crescem rápido

Hoje deixei meu filho no aeroporto.
Ele viajou para Sampa, junto com a Escola e mais 140 adolescentes. Volta na quinta, a noite.

As mães com quem eu falo, que são poucas(não sou do tipo mãe simpática, como já escrevi antes), estavam apavoradas. E me diziam "Você está tão tranquila!"

Claro, meu filho estava feliz!

Por isto minha tranquilidade, além disto, eles estava indo com um colégio renomado, que já fez esta viagem outros anos, e sabe o que está fazendo.

Dizer que não fico apreensiva, é mentira, mas o fato dele estar tão feliz, me faz segurar a onda.

Aprendi muito com Lucas o desapego; sou louca por meu filho, mato e mato por ele, mas ele não é só meu. Ele é do mundo, e ele, mais do que ninguém, me mostra isto todos os dias.

Desde de pequeno, quando me separei do pai dele, dormia pleo menos 02 dias do mês fora de casa. As primeiras vezes que isto aconteceu, foram o inferno para mim.
Marcelo acompanhou e sabe o quanto chorava.

Até hoje, meu coração não fica tranquilo, mas aprendi a me relaxar mais, preciso confiar que ele consegue ser responsável por si um pouco, afinal é isto que fará com que ele cresça!
Ele e eu!

O que eu e Marcelo achamos muita graça foram as caras das pessoas que não eram da escola, ou pais, imaginando se aqueles "monstrinhos" estariam eu seu voo! Eu não queria estar!

Apesar de todo relaxamento, me cerco de ferramentas de acompanhamento.
Já entrei no site da Infraero e vi que o voo pousou sem problemas.
A noite ligarei para o hotel para falar com ele.

E rezarei muito para que ele traga histórias maravilhosas e bem vividas de mais esta experiência!

2 comentários:

Lu disse...

Eu tb penso assim. E tento criar meu filho desse jeito. Ele ainda tem apenas 2 anos e meio, mas tento fazê-lo sentir que ele se basta. Não estarei 24h ao lado dele e nem vou viver para sempre. Quero muito que ele queira voar sozinho. Ele já demonstra isso aos dois anos e espero que essa vontade cresça diariamente!!!

Silvia Gomes disse...

Tem mãe que fica triste quando deixa o filho na escola e o bichinho nem olha para trás... Isso quer dizer segurança! Ele sabe que você vai voltar, não tem medo de deixar você ir...
Dora, minha filha de 9 anos, viajou para SSA sozinha de avião, a primeira vez, com 5 anos.
Depois que a deixei com uma parafernalha de burocracias, autorizações na justiça federal e tal, sacolinha com seus documentos no pescoço... me deu um beijo, deu a mão para a moça da companhia e nem olhou pára trás enquanto eu me esbugalhava e sentia péssima!
A educação que nós damos a eles aparecem nesses momentos, na maneira como reagem e lidam com a situações.
Mil beijos e uma viagem MARAVILHOSA para seu filhote amiga!