quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Carneiros

Eu até entendo a necessidade do ser humano de rotina e de sofrimento (para poder reclamar da vida), mas a busca por parecer com o semelhante ao ponto de usar as mesmas roupas, o mesmo tipo de corte de cabelo, falar apenas dos mesmos assuntos me preocupa.

Conversando hoje de manhã sobre o costume de usar ‘meias levantadas’ que conheci em Brasília quando estive lá em setembro, minha esposa comentou que foi matéria no programa dominical noturno da rede globo, e que a esmagadora maioria das jovens que freqüentam academia usam as meias dessa forma. E mais usam uma ‘calça’ semelhante. Já não bastam os óculos que parecem pára-brisa de ônibus, as bolsas, calças que mostram o cofrinho? É a tal ditadura da moda, não sei creio que seja uma falta de identidade pessoal, medo de ser o que realmente é. Me faz lembrar ‘Admirável Mundo Novo’ onde cada pessoa já é ‘feita’ sabendo o que será quando crescer. A diferença é que a ‘SOMA’ vem através dos meios de comunicação.

Vejo nascendo uma nação de carneirinhos que sempre seguirão o caminho da massa.

by MLMT

2 comentários:

lilaemarcelo disse...

Concordo plenamente marido! Por isso sempre fiz minha moda; posso até não ser compreendida, mas estou feliz.

O Sábio disse...

É uma profunda alienação todo ano tem uma "farda" ditada pela moda e essa massa cega chamada povo tá sempre seguindo,obedeçendo religiosamente seja no vestuario como citou o Marcelo Luiz ou na marca de cerveja (tambem sempre tem uma que "tá na moda" e que todo mundo diz que é a melhor)
outra coisa que eu abomino são os bordões, nem digo o "putsgrila" dos anos 60, mas "baguã-keliê","hare-baba" e outros que só por que apareceram na novela das 8 agora faz parte do paupérrimo vocabulario do povo!