sexta-feira, 9 de abril de 2010

Blasfêmia do sono

As chuvas que atacaram o sudeste, chegaram em Salvador na quarta a noite.

Sabendo disto, fechei as janelas de casa antes de dormir, mas ainda assim acordei diversas vezes na madrugada para ver Lucas, ver as janelas da cozinha(que havia esquecido de fechar), e acabar tendo que enxugar o lago que formou no chão.
Com isto, acabei tendo uma noite de sono entrecortado.

Ultimamente tenho tentado rezar um pai-nosso sempre que levanto da cama; vou levantando, dobrando meu cobertor e rezando.
Mal não faz e acho que já temos tantas energias negativas nos rondando no dia-a-dia, que o pai-nosso é como uma proteção.
Assim como tenho a oração de São Jorge grudada ao lado da minha mesa, no trabalho.

Dito isto, volto para a noite da chuva. Depois da noite ruim, toca o despertador.
Acordo eu ainda sem acreditar que pudesse ser mesmo a hora de levantar; tudo escuro, eu com tanto sono.

Começo então a reza, que saiu assim:

"Pai nosso que estais no céu
Puta que pariu, deve ter algum engano, esta merda de despertador tocou errado
Santificado seja o vosso nome
Porra, que sono miserável, car...
Seja feita vossa vontade
Vontade do car.. de continuar na minha cama
Venha a nós o vosso reino
Assim na Terra como no Céu
O pão nosso de cada dia, nos dai hoje e sempre
Perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nosso devedores
Que por... de perdão, quero dormir, quero minha cama quentinha
Não nos deixei cair em tentações
E livranos de todo mal,
Porra, são 6hrs mesmo, depertador maldito!
Amém"

O sono é amigo íntimo do cramuião!

Um comentário:

Marcelo Luiz disse...

ninguém comenta com medo de parecer herege.