quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Minha cor

Eu sou negra! Engraçado é dizer isso para alguém que sempre vem com a resposta: "não, vc é morena!".
As pessoas me respondem como se eu estivesse me ofendendo quando me identifico como negra. É o mesmo que dizer: "eu sou burra!", e alguém replica: "que é isso, até que você é bem inteligente para uma mulher!"
Tudo preconceito, enraizado dentro de nós, que sai nos atos falhos da vida!
Marcelo sempre me disse: "você é negra!".
E é verdade, eu sou! Só que tenho descendência indígena e portuguesa também(por parte de minha mãe), o que fez com que meu cabelo não saisse crespo e minha pele um pouco mais clara. Pelo cabelo, tenho que agradecer, visto que não acho legal cabelo alisado e para ter um cabelo crespo natural e bonito é preciso de grana, tempo e vaidade(coisas que não tenho!).
Minha vó é negra, meu pai é sarara(palavra usada na Bahia para branco com descendência direta negra), então eu sou negra!
E sou feliz por isso; não tenho celulite(muita), minha pela não tem rugas, tenho a pela mais rígida, tenho bunda, e, fora estética, tenho certeza que minha emotividade, minha aproximação com a natureza, com a dança, são da minha origem negra. A parte ambiciosa, prática, vem da portuguesa.
Sou uma bonita mistura; não vestiria nunca uma camisa 100% negro, porque não o sou, mas que tenho orgulho da minha parte negra, isso tenho!

3 comentários:

Marcelo L. M. Trevisan disse...

Tá sou 75% italiano, 25 polonês mas nasci no Brasil, aqui na Bahia sou visto de muitas maneiras diferentes, algumas delas não muito boas. Quem estava num "certo show" deve lembrar que me senti com medo.

Jorge Martins disse...

Marcelo é polaco e você é de cor.

A prole de você será uma prova indubitável de que o povo europeu gosta mesmo é enfiar a pica no continente africano.

lilaemarcelo disse...

Jorge, você é um gentleman!